Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou, em Fortaleza, que parte de uma nova liberação de R$ 600 milhões destinada à pasta vai ser direcionada ao pagamento de repasses atrasados do Minha Casa, Minha Vida. Segundo o ministro, houve nessa sexta-feira (1) uma ampliação do limite de pagamento do ministério, de R$ 600 milhões, o que possibilitará a redução desses atrasos.

De acordo com o presidente do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro, a dívida do Governo Federal com as empresas no Estado está em torno de R$ 35 milhões e soma mais de R$ 180 milhões no Nordeste e R$ 600 milhões no Brasil. Apenas as obras do Faixa 1 são afetadas, as demais são cobertas pelo FGTS. Entre as obras prejudicadas pelo repasse e com previsão de paralisação é o Residencial Alto da Paz, no Vicente Pinzon, com R$ 5 milhões em atraso.

Canuto participou, ao lado do governador Camilo Santana e do prefeito Roberto Cláudio, da entrega do maior empreendimento do Programa Minha Casa Minha Vida – Entidades do país, o Residencial Luiz Gonzaga, no Bairro Ancuri, com 1.760 unidades. O residencial é um investimento de cerca de R$ 130 milhões, sendo R$ 110 milhões do Governo Federal e R$ 20 milhões, do governo estadual, por meio da Secretaria das Cidades.

O Programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades foi criado em 2009. Ligado a Secretaria Nacional de Habitação, do Ministério do Desenvolvimento Regional, é dirigido a famílias cuja renda mensal bruta esteja limitada de R$ 1.800,00, admitindo-se renda de até R$ 2.350,00 para até 10% das famílias atendidas em cada empreendimento, organizadas sob a forma associativa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp