Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os brasileiros estão otimistas e deixam o presidente eleito Jair Bolsonaro em uma lua de mel bem consolidada. Uma pesquisa da CNPI, realizada pelo Ibope e divulgada, nesta quinta-feira, mostra que três em cada quatro entrevistados (75%) acreditam que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e sua equipe de governo estão “no caminho certo”.

Segundo a pesquisa, contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que, para 14% dos entrevistados, Bolsonaro está no caminho errado. Outros 11% não souberam ou não responderam. O Ibope entrevistou 2.000 pessoas entre 29 de novembro e 2 de dezembro em 127 municípios do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com 95% de nível de confiança.

Outros números da pesquisa expõem a popularidade do presidente eleito a ser empossado no dia primeiro de janeiro de 2019: quanto maior a renda familiar, maior o percentual dos que acreditam que a equipe de transição acerta em suas ações. Entre pessoas com renda familiar de até um salário mínimo, 70% concordam com as iniciativas tomadas enquanto que, entre famílias com renda superior a cinco salários mínimos, o percentual chega a 82%.

Quanto a expectativas sobre os novos rumos políticos do País, os brasileiros também demonstram confiança: a pesquisa aponta que, para 64% dos entrevistados, o governo de Bolsonaro será ótimo ou bom. Os que acreditam que será regular somam 18% e, ruim ou péssimo, 14%. Outros 4% não souberam ou não responderam.

O otimismo é ainda maior entre os homens:  69% acreditam que a futura gestão será ótima ou boa. Dentre as mulheres, o índice cai para 61%. Os mais pessimistas são os moradores do Nordeste, embora a maioria dos nordestinos aposte em um bom governo de Bolsonaro: 55% acreditam que será ótimo ou bom, enquanto 21% dizem que será ruim ou péssimo.

A pesquisa CNI/Ibope perguntou também aos entrevistados como se sentem em relação a 2019. Para 66%, a situação econômica do Brasil vai melhorar ou melhorar muito. Já 69% acreditam que a própria vida vai melhorar ou melhorar muito no ano que vem. As diferenças no otimismo não têm grandes diferenças se comparadas as faixas de renda, mas é maior entre homens e aqueles com renda mais alta.

Na avaliação de 43% dos entrevistados, a segurança pública é o problema que mais vai melhorar no governo de Bolsonaro. Em seguida, são citados corrupção e desemprego por 37% e 36% dos brasileiros, respectivamente. Saúde e educação aparecem em quarto (31%) e quinto (22%) lugares.

Quanto maior a escolaridade do entrevistado, maior a preocupação com segurança pública, corrupção, impunidade e lentidão da justiça.

O Ibope perguntou aos entrevistados o que eles acreditam que vai piorar no próximo governo. Em lista com 28 problemas, 14 ficaram tecnicamente empatados variando de 7% a 11% das citações. Os mais mencionados, no entanto, estão ligados à pobreza e desigualdade social, como desemprego, inflação, falta de moradia e impostos elevados.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp