Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde o dia 7 de abril na sede da Polícia Federal em Curitiba, afirmou aos deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS) e José Guimarães (PT-CE), segundo relatos deles, que a responsabilidade por “dialogar com as forças de esquerda” e “convencer todo o Brasil que ele é candidato” à Presidência pelo PT é do partido, não dele. Pimenta e Guimarães visitaram Lula na Polícia Federal de Curitiba nessa quinta-feira, 24.

“Ele fala assim para nós: ‘olha, o PT tem uma enorme responsabilidade de dialogar com as forças de esquerda’. Então quem tem que dizer, quem tem que convencer todo o Brasil que ele é candidato, é o PT. Não é ele. Ele já é candidato”, disse Guimarães após a visita. Neste domingo, 27, o PT planeja uma série de atos por cidades brasileiras para fazer o pré-lançamento da candidatura de Lula.

Segundo os parlamentares, o lançamento oficial será realizado no dia 9 de junho, em Belo Horizonte, junto ao lançamento dos candidatos a governador pela sigla. “Nós que temos que convencer para acabar com esse fuxicamento que pode, não pode (Lula ser candidato), que tem plano A, plano B, plano C ou que a Constituição não garante (a candidatura). Lula é candidato e a Constituição brasileira assegura esse direito a ele”, afirmou Guimarães.

O ex-presidente cumpre pena de 12 anos e um mês pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá. Condenado em segunda instância, ele pode ter sua candidatura impedida pela Lei da Ficha Limpa. Pimenta afirmou, no entanto, que o nome de Lula será indicado como o candidato oficial do PT no dia 28 de julho, na convenção nacional do partido, e que sua candidatura será registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 15 de agosto. “Vamos ganhar a eleição no primeiro turno”, declarou o deputado.

“Quando isso chegar no STF (Supremo Tribunal Federal), o que estará sendo discutido não é se Lula pode ser candidato ou não. É se um presidente eleito pode assumir”, afirmou. Pimenta ainda disse que “não existe qualquer hipótese de o PT apoiar outro nome” e de “abrir mão daquela que é a maior liderança desse país”. Os deputados ainda disseram que, mesmo preso, Lula se mantém informado sobre os acontecimentos do país e sabe até “os discursos que são feitos na Câmara (dos Deputados)”.

O ex-presidente também teria criticado a alta no preço dos combustíveis. “‘A que ponto nós chegamos? O preço da gasolina, uma greve desse porte, e cadê o governo? O governo não faz nada”, teria afirmado. Segundo os parlamentares, eles foram convidados pelo próprio Lula a visitá-lo – uma autorização da PF permite que, além da família e de seus advogados, duas pessoas diferentes o visitem a cada semana.

Na próxima terça, 29, tanto Pimenta quanto Guimarães voltarão a ver Lula. Isso porque eles fazem parte de uma Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados que irá fazer uma vistoria nas instalações onde Lula está preso. A inspeção havia sido negada pela juíza Carolina Lebbos, responsável pelas decisões de custódia do ex-presidente, mas foi autorizada pelo STF.

Com informações do Uol Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp