Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nessa quinta-feira que já pediu a técnicos da Casa que estudem alternativas para enfrentar a questão das despesas do Estado diante da perspectiva de graves problemas fiscais no próximo ano, incluindo um risco sobre a regra de ouro das contas públicas.

Em entrevista após se reunir com a presidente Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, e diante da já admitida impossibilidade de votar a reforma da Previdência na Câmara, Maia disse que é preciso aprofundar a discussão sobre os gastos públicos.

O parlamentar contou também que pediu a técnicos da Câmara para elaborar uma proposta para que em conjunto com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, começar o debate para que o país possa cumprir a regra de ouro e o teto.

Maia disse que já havia começado a trabalhar em uma emenda à Constituição tratando das despesas obrigatórias do governo, mas lembrou que ela fica impedida de caminhar devido à decisão do governo pela intervenção federal no Rio de Janeiro, que não permite mudanças constitucionais no período. Maia aproveitou ainda para defender a autonomia do Banco Central, outra medida incluída na lista divulgada pelo governo.