Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A recomendação de uso de máscaras, sejam elas compradas ou caseiras, tem como base a proteção coletiva, uma vez que muitas pessoas estão infectadas e ainda não apresentaram sintomas da doença. No Ceará, é obrigatório usar o equipamento de segurança em virtude da pandemia do novo coronavírus. Ações de fiscalização e prevenção realizadas por órgãos municipais e estaduais apontam que, entre 20 e 31 de agosto, mais de 16 mil pessoas foram abordadas pela falta ou uso inadequado da máscara em todo o estado e 99 multas foram aplicadas para quem se negou a utilizar o equipamento. Outros três estabelecimentos também foram autuados.

O principal objetivo das abordagens é orientar. Neste sentido as equipes de fiscalização trabalham a conscientização, distribuem máscaras de tecido, panfletos educativos e álcool em gel 70%. Polícia Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Vigilância Sanitária, da Secretaria da Saúde do Ceará, Guarda Municipal e Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), são alguns dos órgãos que participam das ações, que também contam com instâncias em cada um dos municípios cearenses. Apenas a PM abordou mais de 10.500 pessoas nos dias de vigor da nova lei. No mesmo período a Agefis realizou 310 ações de fiscalização que resultaram na abordagem a cerca de 5.600 pessoas na orla e Centro da Capital.

Outro órgão que tem intensificado as fiscalizações é a Vigilância Sanitária. Constantemente são visitados restaurantes, supermercados, academias, por exemplo. Três estabelecimentos foram autuados. 

Exceções

Não será multado o cidadão que retirar a máscara provisoriamente enquanto estiver consumindo produtos alimentícios nas dependências de restaurantes, bares ou estabelecimentos similares. O mesmo vale para motoristas de veículos automotores que estiverem sozinhos no interior do transporte.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp