Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em 2016, os auditores fiscais do Ministério do Trabalho resgataram 885 trabalhadores identificados em condições análogas à de escravo. Foram realizadas 40.381 ações de saúde e segurança e 5.776 de combate ao trabalho infantil.

Em dezembro do ano passado, o governo firmou o Pacto Federativo pela Erradicação do Trabalho Escravo. A ação une esforços entre governo federal, governos estaduais e Poder Judiciário para todo trabalho análogo à escravidão no Brasil.

O Ministério do Trabalho possui 2.500 auditores fiscais responsáveis por assegurar o cumprimento dos deveres dos empregadores para com os trabalhadores.

Em decorrência de suas ações no ano passado, 163.22 empregados foram formalizados. Inspecionaram 160.518 empresas, conduziram 6.802 ações para inserção de pessoas com deficiência e beneficiários reabilitados da Previdência Social e 28.825 para inserção de aprendizes adolescentes. Procederam a 1.156 análises de acidentes graves e fatais.

“Os auditores fiscais do Trabalho desempenham um papel fundamental no resgate e na consolidação da cidadania dos trabalhadores brasileiros”, afirma o ministro Ronaldo Nogueira.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Trabalho