Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os escândalos de corrupção e as notícias sobre o mau uso de dinheiro público são a principal causa da má avaliação da economia pelo consumidor brasileiro. De acordo com o Indicador de Confiança do Consumidor (ICC) – apurado pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) – divulgado, ontem, 48% dos brasileiros que classificam o atual momento econômico de forma negativa atribuem esse sentimento à corrupção e ao desperdício de dinheiro público.

Males da economia 2

Segundo o levantamento, de forma geral, 82% dos consumidores entrevistados acreditam que a economia não está em boas condições, contra 2% dos que consideram o quadro positivo. Para 15% a situação é regular. Além dos desvios de dinheiro público, outros fatores têm impactado no humor desses brasileiros, como desemprego (27%), aumento dos preços (13%) e juros elevados (5%).

Situação ruim

Atualmente, apenas 12% dos brasileiros avaliam a própria vida financeira de forma positiva. A maioria (44%) acredita que ela se encontra em uma situação ruim, ao passo que 42% a consideram regular. Os principais motivos para o predomínio da percepção negativa são o orçamento apertado e a dificuldades no dia a dia para pagar as contas (39%), desemprego (36%), redução da renda (13%) e a perda do controle financeiro (4%).

Peso pesado

Para metade (50%) dos entrevistados o elevado custo de vida é o fator que mais tem pesado na vida financeira familiar, sendo que 78% notaram aumento de preços nos supermercados. Para 69%, também aumentou o preço da energia elétrica. “Apesar do recuo da inflação nos últimos meses, a alta dos preços foi muito acentuada nos últimos anos e esses efeitos ainda são sentidos até hoje.” – explica a economista Marcela Kawauti.

Peso pesado 2

O desemprego também se destaca entre os fatores que mais pesam na vida financeira familiar sendo mencionado por 22% da amostra. Aparecem em seguida, o endividamento (15%) e a queda dos rendimentos mensais (8%). O medo de ser demitido é um receio que assusta 33% dos trabalhadores, sendo que para 8% deles o risco de serem dispensados por seus empregadores é alto. Para 25%, o risco é médio e, para outros 25%, a probabilidade é baixa.

Pessimismo

Apenas 19% dos consumidores brasileiros se dizem otimistas com o futuro da economia do país contra 41% de entrevistados que se declaram pessimistas. Conforme a pesquisa, a maior parte (45%) dos otimistas, contudo, não sabe apontar as razões desse sentimento. Entre os pessimistas com o futuro da economia, mais uma vez, a corrupção, a impunidade e a incompetência dos governantes para lidar com a crise desponta como a principal causa, citada por 49% desses entrevistados. Para outros 20%, a razão do pessimismo é o contínuo aumento do desemprego.

Alento

A Prefeitura de Fortaleza vai antecipar 40% do 13º salário do funcionalismo municipal até o fim deste mês. Com a antecipação de 50% feita pelo governo do Estado e governo federal, a grana vai dar um alento nas finanças dos servidores públicos e reflete positivamente na economia local, que, na ponta final, absorve os recursos liberados pela administração pública.

Jogo rápido

Registrar e formalizar empresas no Ceará está menos burocrático. Com o programa Empresa Simples (e.simples), apresentado nesta quarta-feira (14), no Palácio da Abolição, o processo de abertura de firma pode realizado, também, de forma virtual, com entrada única de documentos pelo Portal de Serviços da Junta Comercial do Ceará (Jucec). O projeto integra todos os órgãos de inscrição tributária e licenciamento em um único site, evitando o descolamento e utilização de papéis, além de acelerar o serviço, possibilitando o registro empresarial em até cinco dias.

Embarque e desembarque

A previsão das empresas aéreas é de voos lotados durante o feriadão de Corpus Christis, que vai de hoje a domingo, considerando o hábito da muita gente de imprensar a sexta-feira. Os voos deverão registrar ocupação de 90% a 95%, alguns podendo lotar, especialmente os que se dirigem a São Paulo. Nestes dias, o saguão do Aeroporto Internacional Pinto Martins vai viver momentos de grandes filas, amenizadas pelo atendimento rápido, principalmente para os passageiros com pouca bagagem.

Voando baixo

Após registrar a segunda alta no ano, o volume de atividades turísticas no Ceará voltou a cair em abril – dando continuidade ao movimento oscilatório observado desde janeiro. Na comparação com março (1,2%), a queda registrada foi de 5%, já com os ajustes sazonais. Com a nova queda mensal, o comportamento negativo registrado, no acumulado do ano, passou de -0,2% para -0,4%, enquanto o índice acumulado em 12 meses chegou a -4,4%. Contudo, se comparado com igual período de 2016, a queda de -3,4% anulou o saldo de 2,2% de alta observados em março, no Estado, nessa base de comparação. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo IBGE.