Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em tempos em que o sistema de saúde passa pelo desafio causado pela Covid-19, a sociedade se vê na condição de agir com cautela para evitar a necessidade de idas aos hospitais, seja por infecção pelo novo coronavírus ou por causas distintas. Dentro dessa nova rotina de cuidados, não podemos esquecer do nosso corpo e daquilo que nos ajuda a combater as ameaças ao nosso organismo: o sistema imunológico.

Uma boa imunidade é a principal defesa do corpo contra agentes infecciosos, como vírus, fungos, bactérias e até parasitas. Apesar de já nascermos com essa defesa, o sistema só atinge a maturidade imunológica por volta dos 12 anos e volta a apresentar “brechas” quando idoso.

Para manter tudo funcionando bem, independentemente da faixa etária, é preciso ter atenção com a alimentação e evitar o sedentarismo, como conta o diretor técnico e clínico geral do Hospital Geral Dr. César Cals, do Governo do Ceará, Pedro Guimarães.

“Existem mais de 300 distúrbios genéticos que podem causar alguma disfunção do sistema imunológico, variando desde comprometimentos leves até doenças bastante severas. Qualquer vírus, bactéria, fungo ou parasita pode, sob determinadas circunstâncias, podem se aproveitar de falhas no sistema e, para evitar que isso ocorra, a melhor defesa para nosso organismo é mantermos uma alimentação saudável e equilibrada, fazer atividades físicas regulares e evitar consumo de álcool, cigarro e outras drogas”, destaca médico.

Apesar de o sistema imunológico estar em perfeito funcionamento, isso não é garantia que a pessoa não vá ter nenhuma doença. Além disso, há fatores que nos tornam suscetíveis a infecções, nos deixando com o que é popularmente conhecido como imunidade baixa e pode ser observado por alguns sintomas, como quando um indivíduo tem, por exemplo, várias infecções em um curto período de tempo.

Covid-19

Outro agente que capaz de superar o sistema imunológico são vírus novos, como é o caso do novo coronavírus. Por ser algo que o organismo não tem conhecimento pré-existente, o corpo tem mais dificuldade para identificar e combater o invasor.

Na esteira dos acontecimentos, muitos tentam oferecer soluções caseiras como alternativa no combate a Covid-19, contudo isso deve ser visto com muito cuidado, pois não existe nada conhecido que combata a doença, seja medicamentos ou alimentos. “Não existe milagre, não existem alimentos protetores contra a infecção do coronavírus. Não há nada comprovado ainda, mas existem muitos aproveitadores neste momento, tentando tirar vantagem dos mais incautos”, afirma Pedro Guimarães.

A médica imunologista Janaira Fernandes, do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), corrobora com Pedro e reforça: “Em relação ao Covid-19, ainda é vírus. Há algumas hipóteses sobre suplementação com microelementos na dieta, mas não temos dados suficientes para preconizar reposição indiscriminada para a população. O funcionamento de forma saudável do sistema imunológico segue sendo uma alimentação balanceada, atividade física e equilíbrio emocional. E, em relação ao novo coronavírus, o mais importante no momento é evitar o contato com o agente”.

A disseminação da Covid-19 é uma preocupação global. Mas é importante não entrar em pânico e ter cuidado com notícias falsas. Busque sempre informações em órgãos nacionais e internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.

Orientações importantes

Siga as medidas de proteção da OMS: lave as mãos frequentemente, evite aglomerações e muito contato pessoal, proteja boca e nariz ao espirrar/tossir, evite tocar nos olhos, nariz e boca, não compartilhe objetos pessoais e busque ajuda médica se necessário.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp