Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
A ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata à vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) na eleições de 2018, afirmou em uma rede social, nesta quinta-feira (29/8), que entregou seu telefone celular para ser periciado pela Polícia Federal, após prestar depoimento sobre qual seria sua relação com um homem preso por suspeita de ter hackeado os smartphones de várias autoridades.
“Ontem, entreguei, voluntariamente, meu celular para a PF. Eu já havia entregue os prints de todas as conversas. Ontem, entreguei as informações do telefone para que fique comprovado a veracidade das informações que prestei voluntariamente em meu depoimento. Por que ninguém mais entregou o telefone?”, escreveu em sua conta no Twitter.
D’Ávila foi citada por Walter Delgatti Neto, um dos acusados de hackear os telefones, como a pessoa que lhe forneceu o contato do jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept. Greenwald é o responsável pela divulgação de diálogos atribuídos a procuradores da Lava-Jato e ao ministro da Justiça, Sergio Moro, e que resultaramnoescândalo conhecido como Vaza Jato.
No dia 26 de julho, a ex-deputada emitiu uma nota na qual confirmava ter repassado o telefone de Greenwald a uma pessoa que a procurou querendo divulgar material “para o bem do país”.
D’Ávila foi convocada, duas semanas atrás, a prestar esclarecimentos sobre o assunto pela Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, após requerimento apresentado por Capitão Augusto (PL-SP).
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp