Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com alta prevista para a próxima sexta-feira, 28, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, não terá nenhuma contraindicação médica que o impeça de participar dos últimos dois debates eleitorais.

No domingo, o debate será na TV Record. Na TV Globo, o debate está marcado para quinta-feira da semana que vem. O cirurgião Antonio Luiz Macedo, chefe da equipe médica que acompanha o presidenciável no Hospital Albert Einstein, afirmou que Bolsonaro deixará o local em “ótimas condições”, mas caberá a ele decidir sua agenda de campanha. “Logo ele se recupera, e ele mesmo decide o que ele vai fazer (sobre participar ou não dos debates)”, disse o médico.

Questionado se haverá alguma recomendação médica para que Bolsonaro não compareça aos debates, o cirurgião disse que não. “Não, não (vai ter recomendação médica para ele não participar). Depende apenas se ele estiver se sentindo bem. Veja bem, foi uma tentativa de assassinato. Não foi uma facada de um louco, foi uma facada de um assassino. O cara girou a faca dentro dele”, observou o cirurgião.

Bolsonaro sofreu um atentado no dia 6 de setembro, quando fazia campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. De acordo com aliados, Bolsonaro tem demonstrado desejo de participar dos últimos debates, mas é desestimulado por exigir muito esforço. A transferência para a casa do presidenciável no Rio não exigirá uma aeronave especial. Segundo assessores próximos, a campanha está providenciando passagens aéreas em um voo comercial. “Ele está perfeito. Só teve aquela segunda cirurgia de urgência, mas agora ele está ótimo”, disse Macedo, afirmando que a viagem poderá ser feita sem problemas.

Em casa, Bolsonaro seguirá, por recomendação médica, com dieta leve, fisioterapia, exercícios respiratórios e caminhadas. De acordo com o cirurgião, a bolsa de colostomia poderá ser retirada em uma nova cirurgia em novembro.

Com informações do Jornal O Globo