Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Levantamento divulgado nessa segunda-feira pelo Conselho Federal de Medicina revela que cerca de 2.800 municípios brasileiros gastaram menos de R$ 403,37 na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. A análise mostra que esse foi o valor médio aplicado por gestores municipais com recursos próprios em Ações e Serviços Públicos de Saúde declaradas no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde.

De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior. Em 2017, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média R$ 779,21 na saúde de cada cidadão – quase o dobro da média nacional identificada.

No Ceará, a capital Fortaleza gasta em média apenas R$ 350,25 com a saúde de seus munícipes. Os municípios que menos investem no Estado são pela ordem: Mauriti (R$ 111,61), Itapiúna (R$ 112,78), Itapipoca (R$ 119,55), Crato (R4 118,71) e Crateús (R$ 135,99). Já os que mais investem pela ordem são: Guaramiranga (R$ 997,25), Eusébio (R$ 846,48), São Gonçalo (R$ 641,89), Ererê (R$ 548,57) e  Icapui (R$ 509,93).

Com Informações da Agência Brasil e CFM