Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ministério Público do Estado do Ceará, por meio do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), deflagrou na manhã desta sexta-feira (04) a Operação “Bet”, que quer dizer aposta em latim.

Suspeitos

O objetivo é desarticular a ação de policiais militares da ativa que estariam fornecendo proteção e acobertando o funcionamento de bingos e de outras casas de jogos ilegais na capital cearense em troca do recebimento de propinas. Os suspeitos também estariam repassando à organização criminosa responsável pela jogatina informações sobre futuras ações policiais que visavam coibir a prática ilegal.  

A pedido dos promotores do GAECO, a Vara da Auditoria Militar expediu oito mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão, em Fortaleza e Cariré. O cumprimento conta com o apoio da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional – COPOL, orgão da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará, e do Comando Geral da Polícia Militar do Estado do Ceará.  

Investigação

As investigações começaram em novembro de 2018 e contaram com o apoio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado. As primeiras informações e provas foram levantadas durante outro caso, em que o GAECO investigava o envolvimento de policiais militares com facções criminosas. Se comprovada a participação dos suspeitos nos delitos investigados, eles podem responder por crime contra a economia popular, corrupção ativa e passiva e também por integrarem organização criminosa.  

Confira vídeo do promotor de Justiça Rinaldo Janja, coordenador do GAECO e responsável pela Operação Bet, deflagrada nesta sexta (04)

(*)com informação da MPCE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp