Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após retornar de missão oficial do Parlamento Latino-Americano no México, o deputado federal Danilo Forte (PSB-CE) participou de reunião, na tarde desta segunda-feira (27), com o Ministro Marcos Pereira. Na pauta, a cultura de produção de camarão no Ceará e os efeitos de uma possível liberação da importação de camarão do Equador.

No decorrer do encontro, Danilo Forte apresentou documentos da Associação Brasileira dos Criadores de Camarão (ABCC) apontando os riscos sanitários e para a geração de empregos, tanto no contexto industrial como artesanal, com a autorização da importação. “O mesmo documento que entreguei ao presidente Michel Temer, trouxe para o ministro Marcos Pereira.

Nos preocupa a possibilidade dessa liberação acontecer devido a possibilidade de contaminação dos crustáceos nativos e a inevitável diminuição na oferta de empregos para o nosso povo. O que nós precisamos é investir no nosso mercado, que tem potencial e precisa de estímulos”, diz Danilo Forte.

Uma comissão interna vai analisar a demanda do parlamentar. “Vamos retomar o assunto e solicitar as informações necessárias ao Ministério da Agricultura para analisar e verificar o que deve ser feito. Em seguida, vamos marcar uma reunião com integrantes da ABCC para ouvi-los”, afirma o ministro Marcos Pereira.

Segundo a ABCC, o Ceará é um dos maiores produtores do crustáceo no país. O Estado produziu 76 mil toneladas de camarão em 2015, representando 65,7% da produção nacional. A associação destaca, ainda, que a economia pesqueira brasileira, tem na exploração dos seus crustáceos (caranguejos, camarões e lagostas), a geração de emprego, renda e meios de subsistência para mais de 20 mil famílias, notadamente nas regiões Norte e Nordeste do país.

Com informações Assessoria de Comunicação Gabinete Deputado Federal Danilo Forte (PSB – CE)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp