Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Diante da confirmação do governo federal, por meio da Portaria Conjunta nº22, da reabertura das agências da Previdência Social no dia 13 de julho com o retorno gradual do atendimento presencial, a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) enviou ofício ao Ministério da Economia detalhando os motivos, principalmente normas sanitárias, para não começar agora aglomerações nas agências.

O ofício ressalta que há mais de um milhão de requerimentos de beneficiários ainda aguardando análise preliminar da esfera administrativa do INSS. Diante disso, os peritos afirmam não fazer sentido convocar imediatamente os profissionais da carreira sem a conclusão das fases preliminares de saneamento dos processos.

A AMNP destaca, ainda, que, “no momento em que essa pandemia apresenta, em âmbito nacional, flagrante sinalização de expansão – e não de enfraquecimento –, a conclusão adotada pela Portaria Conjunta n. 22 mostra-se politicamente precipitada e cientificamente equivocada”. 

Isso porque os cidadãos destinatários dos serviços da Perícia Médica Federal são, “em sua grande maioria, aqueles que integram o denominado grupo de risco da doença,quais sejam: idosos, portadores de doenças graves e crônicas, gestantes, entre outros”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp