Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ministério Público do Estado do Ceará, através do promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Cidadania (CAOCIDADANIA) Hugo Frota Magalhães Porto Neto, participou, no dia 25, da reunião da Rede de Escolas de Governo do Estado do Ceará, na Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus). Hugo Porto falou sobre a importância da inclusão de pessoas com deficiência, bem como a garantia de direitos especialmente no acesso ao ambiente escolar.

De acordo com o representante do Ministério Público, diversos gestores estavam presentes no encontro, oportunidade em que ele pôde falar sobre a necessidade de formatação de treinamento e curso de formação para uma maior qualificação de profissionais tradutores em língua brasileira de sinais (Libras), bem como de facilitadores de inclusão que permitam um tratamento digno às pessoas com as mais diversas deficiências. “A reunião foi interessante porque abriu o diálogo para que a rede faça uma articulação com Universidade Federal do Ceará e com órgãos estaduais para formação de servidores públicos em libras e facilitadores de inclusão”, reforçou.

O diretor de Ensino da Escola Superior do Ministério Público (ESMP), Tarcísio Rocha, considerou importante a participação do CAOCIDADANIA na reunião da Rede de Escolas de Governo por congregar gestores das principais escolas do estado. “É um excelente meio de divulgação e capacitação de servidores ao atendimento e preparação das escolas para receber pessoas com deficiências”, disse, ao ressaltar a mudança de mentalidade sobre a acessibilidade e os direitos das pessoas com deficiência. Ele afirmou que a rede está articulando um curso para capacitar servidores de diferentes instituições na abordagem do atendimento ao cidadão com deficiência.

A coordenadora da Rede de Escolas de Governo, Hilária Barreto, afirmou que a sensibilização foi de grande valia para o despertar dos representantes e dirigentes que compõem a rede ao lidar com pessoas com necessidade especiais. “As instituições precisam despertar para esse assunto e desenvolver um projeto de integração que permeie as instituições que formam a rede com capacitações”, destacou, completando que este diagnóstico foi visualizado a partir da explanação do promotor Hugo Porto.

Com informação da A.I