Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negocia com a ala governista do PSB, contrários ao desembarque do governo Temer, a migração para o seu partido. Segundo interlocutores de Maia, a expectativa é de aumentar a bancada da sigla na Casa para 40 integrantes. Atualmente, o DEM tem 29 deputados. 

 

As conversas de Maia envolvem o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (PE), e os dois líderes do PSB no Congresso: o senador Fernando Bezerra (PE), pai do ministro de Minas e Energia, e Tereza Cristina (MS). 

 

Maia também tenta atrair para o DEM os deputados Heráclito Fortes (PI) e Danilo Forte (CE). Ao ser questionada sobre a mudança de partido, o parlamentar cearense desconversou e disse que “o futuro a Deus pertence”.

 

O presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), confirmou o teor das conversas com os parlamentares “descontentes”, mas evitou tratar dos nomes e garante que ainda não há nenhuma decisão tomada. Parlamentares do DEM e interlocutores de Maia em outras siglas também confirmam as negociações. 

 

O ministro de Minas e Energia afirmou que o DEM ofereceu a legenda para ele e outros deputados dissidentes do PSB, mas que eles ainda não tomaram nenhuma decisão. De acordo com Coelho Filho, vários partidos sondam os descontentes do PSB.

Nessas conversas, os deputados do partido ponderam que é preciso avaliar o cenário político estadual antes de decidir pela troca. No DEM, a previsão é de que os novos parlamentares façam a migração na próxima janela para troca partidária, marcada para março de 2018. 

 

O movimento fortalece Maia, no caso de uma eventual eleição indireta, já que ele é um dos candidatos prováveis para substituir Michel Temer no cargo. 

 

Esta não é a primeira vez que o presidente da Câmara aumenta o tamanho da bancada do seu partido. Desde que assumiu o comando da Casa, o DEM passou de 21 deputados – eleitos em 2014 – para 29 atualmente. O presidente da Câmara nega negociações. Por meio de sua assessoria de imprensa, Maia afirma que as conversas são apenas no sentido de trabalho em conjunto.