Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Cento e trinta e três pessoas tiveram seus benefícios concedidos e deixaram o Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II) entre os dias 18 e 30 de março. Esse é o resultado do projeto Ação Concentrada: Justiça no Cárcere, uma parceria entre Secretaria da Justiça e Cidadania e o Tribunal de Justiça, por meio das Varas de Execução Penal, com apoio do Ministério Público e Defensoria Pública.
Entre os benefícios estão progressão do regime semiaberto para aberto e prisão domiciliar. Dos 133 que saíram da unidade, 77 serão monitorados eletronicamente e já receberam o equipamento na própria unidade prisional.
O resultado decorreu de uma avaliação minuciosa de cerca de 500 processos de réus que estavam cumprindo pena na unidade. A Sejus disponibilizou assistentes sociais e psicólogos para a realização de um questionário psicossocial que auxiliou na decisão judicial.
Agora, os egressos passam a ser acompanhados pela equipe de monitoramento eletrônico e nos programas de inclusão social. Durante o mutirão, a equipe da Coordenadoria de Inclusão Social do Preso e do Egresso cadastrou os beneficiados com a soltura para inseri-los em projetos de inclusão. Os monitorados também irão participar do projeto Aprendizes da Liberdade que realiza aulas da alfabetização ao ensino médio, aos sábados e domingos, no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja).
Para a secretária da Justiça e Cidadania, Socorro França, o resultado é muito positivo por conceder aos internos benefícios que eles têm direito. “Todos esses internos que deixaram a unidade fizeram por merecer essa liberdade. Eles cumpriram parte de sua pena, tinham bom comportamento na unidade prisional e agora terão uma chance de recomeçar suas histórias”, destaca.
Fonte: Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará