Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Milhares de trabalhadores cearenses voltam às atividades nesta segunda-feira (01) nos setores da indústria, comércio, saúde, e construção civil. As empresas terão que seguir regras recomendadas pelos órgãos da área da saúde para que se evite qualquer possível propagação do novo coronavírus. O assunto foi destaque no Bate-Papo político desta segunda-feira (01).

“As medidas representam o caminho para a economia voltar”, afirma o jornalista Luzenor de Oliveira ao comentar as medidas anunciadas pelo governador Camilo Santana que trazem fôlego para os empresários que se encontravam em situação delicada com seus empreendimentos de portas fechadas a mais de 70 dias. Para as empresas, no entanto, será necessário adoção de normas rígidas de higiene.

Por sua vez, Beto almeida pontua que é necessário entendimento da responsabilidade por parte das empresas para que coloquem em risco a vida dos trabalhadores e clientes. “É preciso que esses trabalhadores passem por exames de testes rápidos, que eles promovam isso”, diz o jornalista que complementa dizendo que a detecção do vírus em algum funcionário já pode ser coibida com o afastamento do mesmo.Se

O jornalista Luzenor de Oliveira destaca também a necessidade de atenção por parte dos gestores municipais: “É preciso que os prefeitos estejam também sintonizados com as diretrizes estabelecidas pelo governo do Estado dentro das recomendações nacionais e internacionais das autoridades de saúde para que nós não tenhamos que passar por uma segunda onda de contaminações”.

Beto finaliza salientando que o isolamento mais rígido será imposto nesta segunda em sete municípios devido ao número de casos de coronavírus que tem preocupado as autoridades vigentes. As cidades de Caucaia, Maracanaú, Sobral, Acaraú, Itapipoca, Camocim e Itarema vão ter mais rigor no fluxo de pessoas depois que os órgãos da saúde registraram quase 8 mil casos de covid-19 e 340 óbitos pela doença nessas cidades.

Não dá pra se pensar que haja uma flexibilização, uma melhora, uma reabertura nesses municípios, nessas cidades, muito pelo contrário, se Fortaleza, as autoridades já detectaram que nos estamos numa onda mais tranquila, os casos estão descendo, mas não é o que está acontecendo no interior do Estado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp