Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

“Alegria que dura pouco” – foi assim que o jornalista Luzenor de Oliveira definiu a situação de 565 mil pessoas no País que receberam ilegalmente o benefício do governo e foram excluídas do auxílio emergencial. Milhares de cearenses estão entre os que precisam devolver o dinheiro a União, pois estão contrariando os requisitos para receber o dinheiro que tem como finalidade auxiliar aqueles que ficaram sem renda neste período de pandemia e precisam da quantia para suprir as necessidades.

Estão sendo cobrados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) os trabalhadores de carteira assinada, aposentados, beneficiários do INSS que recebem auxilio e BPC, além de servidores municipais, estaduais e federais ativos e inativos que foram contemplados com o valor de R$ 600 reais. Os pagamentos indevidos somam R$ 417 milhões de reais e o rombo pode superar a casa de R$ 1 bilhão de reais.

Aqui no Ceará pelo menos 25 mil servidores federais foram identificados pelo TCU como trabalhadores que receberam irregularmente. O anúncio da suspensão de pelo menos 565 mil pessoas, no entanto, não detalhou o número de pessoas excluídas no Ceará. “Uma alegria que durou pouco para quem recebeu o dinheiro e quem o fez de forma indevida é obrigado agora, está sendo cobrada a devolver esses recursos aos cofres da União”, afirma Luzenor.

O Tribunal de Contas da União identificou 235 mil empresários que receberam o auxílio e são sócios de empresas. Nesse grupo ainda fazem parte outras 625 mil pessoas que são suspeitas de terem recebido o benefício indevidamente. Em sua fala, o jornalista Beto Almeida destaca que já existe um site para realizar a devolução do dinheiro recebido e que é importante que os trabalhadores contemplados de maneira irregular procurem logo devolver.

“Não tem saída não, pra quem recebeu de forma irregular principalmente pra quem é servidor público, pra quem tem carteira assinada, esses ai é que vão ter que devolver mesmo, porque inclusive o governo tem o cadastro de todas essas pessoas. Não pode ficar na dúvida se devolve ou não, um aposentado vai ter que devolver do mesmo jeito o que tem carteira assinada, você recebeu indevidamente. Se antecipe, entre no site e procure fazer a devolução”, recomenda Beto Almeida.

Beto ainda destaca que até a última sexta-feira cerca de 57 milhões e 500 mil reais foram pagos e devolvidos por pessoas que receberam indevidamente o auxílio emergencial. “É muito pouco ainda em relação ao que já foi liberado para pessoas que não deveriam receber o auxílio”, pontua Beto. Por fim, o jornalista Luzenor de Oliveira reforça o alerta para que os trabalhadores contemplados indevidamente devolvam o benefício:

“Você que recebeu auxilio de forma indevida, pra não passar ainda mais constrangimento e principalmente para quem tem condições, tem renda, tem carteira assinada, é servidor publico e não deveria receber esse dinheiro, é hora de fazer o encontro de contas com o governo federal”

https://youtu.be/zCqkQratfdM
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp