Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Nova linha Pecém-Singapura

A Maersk Line, a Hamburg Süd e a APM Terminal lançaram nesta quarta-feira, no Porto do Pecém, nova linha com destino à Ásia via canal do Panamá. O Porto do Pecém será o único ponto de parada no Brasil da nova linha, com acesso direto ao continente asiático, reduzindo o tempo de viagem para 29 dias. A expectativa do Governo do Ceará é que o serviço traga um incremento de mais de 30 mil contêineres em negócios para o Estado. As operações iniciam em abril e já começam a consolidar o terminal cearense como um hub marítimo.

Japoneses

Representantes da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil virão o Ceará em abril. Na agenda, a participação no seminário promovido pelo Governo do Estado para apresentar oportunidades de investimento, com destaque para a ZPE Ceará, que tem pronta nova área de expansão com 2 mil hectares para a implantação de novos investimentos. Os japoneses apostam na retomada do crescimento econômico do país ainda em 2018 e o Porto do Pecém entra na rota de interesse comercial.

Em obras I

Já está em obras, a estrada de serviço do Setor II (expansão) da Zona de Processamento de Exportação (ZPE-Ceará), dentro da área do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). A via em construção cria as condições necessárias para a atração de novos investimentos para o Estado, especialmente voltados para a exportação.

Em obras II

A nova estrada terá cerca de oito quilômetros de extensão, dentro da área de 150 hectares. O Setor II será o novo recinto alfandegado da ZPE-Ceará que, na primeira etapa, deverá abrigar um condomínio industrial que ganhará empresas de setores produtivos diversos, como granito e energia. Até agora já existem seis memorandos de entendimento assinados e uma das empresas deve iniciar suas obras até o fim do primeiro semestre

Ovos

As exportações de ovos comerciais in natura (com casca) atingiram o mais baixo volume em 2017. Segundo o Ministério da Indústria e Comercio, o acumulado nos doze meses atingiu apenas 55,6 milhões de ovos e representou 57,6% de redução em relação ao total embarcado em 2016. O que se sobressaiu foram as variações negativas verificadas no decorrer dos 12 meses de 2017.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp