Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Cresceu em 71% o número de casos de homicídio de crianças e jovens no Ceará, com idade entre 10 e 19 anos, no primeiro semestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do relatório epidemiológico desenvolvido pelo Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA), divulgado nesta segunda-feira (13), na Assembleia Legislativa.

Números mais atualizados do comitê revelam o assassinato de 709 jovens, registradas em todo o Ceará. Somente em Fortaleza, no mesmo período, 293 crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos foram assassinados. Em Maracanaú, foram 43 homicídios nesta faixa etária.

Para o coordenador do escritório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) de Fortaleza, Rui Aguiar, em determinados territórios da cidade em que foram notificados os crimes, há uma predominância de adolescentes afastados da escola, precariedade da oferta de geração de emprego para o adolescente e suas famílias, e ameaças de morte.

Na capital, o caso mais recente foi registrado na madrugada desta segunda (13), quando quatro adolescentes foram assassinados após serem retirados por um grupo armado de dentro do Centro de Semiliberdade Mártir Francisca, no Bairro Sapiranga.

Com Informações G1-CE