Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Quem passa diariamente pela avenida Eduardo Girão, no bairro de Fátima, deparou-se com novas obras na via nesta semana, depois de um dos trechos do local ter sido liberado recentemente para tráfego. A situação mais crítica fica entre as ruas Pedro Leopoldo Fernandes e General Sílvia Júnior, onde há uma cratera a céu aberto, consequência de uma obra de reparo do esgoto da região iniciada pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece)

O problema tem trazido transtornos aos motoristas que utilizam o local, além do mau cheiro e o risco de acidentes. Durante a noite, segundo o morador José Iuran, que mora no bairro há mais de 15 anos, sempre acontecem obras da Cagece no local, mas são apenas “reparos pontuais”, por isso, a avenida está sempre em obras.

A Cagece, por meio de nota, informa que a intervenção está sendo realizado para reparar uma fuga na rede coletora de esgoto e que equipes técnicas da Companhia encontram-se em campo realizando o reparo da tubulação. Ainda segundo a Companhia, o serviço deve ser concluído até este sábado, 20.

Na nota, a Cagece reitera que já realizou substituição em diferentes trechos da tubulação de esgoto localizada na avenida Eduardo Girão. Porém, a ocorrência em questão não diz respeito a nenhum trecho que já tenha recebido obra de melhoria na rede.

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) esclarece que agentes de trânsito se revezam em rotas volantes na área, além de técnicos do órgão, que acompanham a dinâmica do fluxo, e orientadores de tráfego. O controle de semáforo do local também foi adaptado, segundo a Autarquia, que orienta ainda os condutores a utilizar a avenida Treze de Maio enquanto durar a intervenção.

Fiscalização

A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), também por meio de comunicado, destaca que realiza rotineiramente fiscalizações de obras por toda a cidade. O órgão ressalta, ainda, que vai enviar fiscais às obras, nesta quinta-feira, 18, para identificar possíveis irregularidades e adotar as medidas cabíveis.

Com informações do Diário do Nordeste