Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Viabilidade das obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC) está comprometida. Atrasado no repasse de verbas do Governo federal vem afetando os recursos estaduais, provocando enxugamento das contas e impossibilitando a continuidade da obras no Cariri.

Trabalhadores que atuam no lote 3 do trecho 1 já receberam aviso prévio para demissão devido a paralisação dos trabalhos. Com três trechos e seis ramais ao todo, as obras do CAC se arrastam desde 2013 e já custaram aos cofres públicos mais de R$ 1,2 bilhão.

A empresa Marquise informa que está sem receber os repasses desde janeiro de 2019. Como consequência a obra, – que estava 40% concluída – está paralisada e cerca de 260 funcionários estão ameaçados de desligamento.

Os detalhes sobre as obras nos lotes 1 e 2, realizados pelas empresas Passarelli e PB Construções, respectivamente, ainda são desconhecidos. Em março deste ano, dia 29, o Ministério do Desenvolviemnto Regional (MDR) confirmou o envio de R$ 10,6 milhões ao Governo do Estado do Ceará.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp