Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A ofensiva do candidato do PDT, José Sarto, contra os dois principais adversários – Capitão Wagner (PROS) e Luizianne Lins (PT) – deu resultado e, em duas semanas, o fez crescer 7 pontos e assumir, de acordo com os dados do Instituto Datafolha, divulgados, nesta quarta-feira, o segundo lugar nas intenções de votos. Sarto saiu de 15% na pesquisa anterior (17/10) para 22%, enquanto Wagner ficou com 31% – antes, o índice era de 33%, e Luizianne, que caiu de 24% para 19% de apoio dos eleitores.

+ Datafolha aponta Capitão Wagner com 33%, Luizianne, 24%, e Sarto, com 15%

Os estrategistas da campanha de José Sarto, com base na leitura diária das pesquisas internas coordenadas pelo senador Cid Gomes (PDT), intensificaram críticas à gestão da então prefeita Luizianne Lins e passaram a mostrar que, no mesmo período administrativo, o Governo Roberto Cláudio conseguiu realizar mais investimentos e mais obras, principalmente, nas áreas da saúde e da educação.

Com os números massificados, Sarto entra na propaganda para dizer que o modelo, que vem dando certo, precisa avançar. As mensagens invadem o horário da propaganda no rádio e na televisão e, numericamente, é bem superior aos espaços destinados ao Capitão Wagner e a Luizianne. A quantidade ajuda a fazer a diferença na assimilação, pelos eleitores, das propostas e mensagens do pedetista.

Sarto conta, ainda, com uma estrutura partidária e política que amplia as ações para alcançar os eleitores nas comunidades onde, com mais limitações, Wagner e Luizianne não conseguem chegar com tanta rapidez. Claro que, pelas redes sociais, os caminhos ficam mais curtos, mas nem sempre suficientes para, como acontece no contato pessoal, gerar mais resultados e mais empatia.

CAMILO X WAGNER

Se de um lado, Sarto parte para mostrar que, com organização administrativa e disciplina, é possível se realizar muito mais, quando faz a comparação entre as gestões de Luizianne Lins e Roberto Cláudio, o pedetista conta, ainda, com um forte cabo eleitoral e aliado político que cuida de liderar o conflito com o Capitão Wagner, que é o Governador Camilo Santana (PT).

Camilo puxou o Capitão para o ringue ao enfrenta-lo no debate sobre a greve dos policiais. Wagner disse que não liderou o movimento, enquanto Camilo o acusa no sentido contrário. Nesse embate, Sarto corre livre para ocupar espaços e, como mostram os números da pesquisa Datafolha, crescer e brigar por uma vaga no segundo turno. São pouco mais de duas semanas para o primeiro turno, que acontece no dia 15 de novembro, e, com mais uma rodada de pesquisas, o acirramento da campanha e a briga pelos votos ficarão ainda mais emocionantes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp