Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) negou o pedido de prisão domiciliar a favor dos advogados suspeitos de cometer crimes para burlar o Sistema de Justiça e favorecer membros de facções criminosas.

Alvos da “Operação Rábula”, os advogados, segundo os autos, integravam um esquema criminoso e foram acusados por organização criminosa, corrupção ativa e passiva, concussão, tráfico de influência, exploração de prestígio e estelionato. Até o momento foram realizadas cinco prisões.

De acordo com as autoridades, o esquema também incluía participação de um servidor efetivo e dois funcionários terceirizados do TJCE, além de um soldado da Polícia Militar do Ceará (PMCE). Ao todo, a Vara de Delitos de Organizações Criminosas expediu 15 mandados de prisão, oito preventivas e sete temporárias, e 25 mandados de busca e apreensão, cumpridos em residências e escritórios de advocacia em Fortaleza, e nas cidades da Região Metropolitana, Caucaia e Maracanaú.