Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Governo estuda “pacote de bondades” para facilitar aprovação da reforma da Previdência

Como prometido, a reforma da Previdência foi apresentada. Na PEC entregue ao Congresso, o governo Jair Bolsonaro (PSL) lançou um proposta com regras mais rígidas para aposentadorias e pensões. Agora, porém, ela passa pela etapa mais difícil: ser aprovada. Até lá, o governo terá que abrir um canal de diálogo com os parlamentares e, para isso, prepara um verdadeiro “pacote de bondades“, que pretende angariar votos entre os deputados mais antigos e os veteranos.

No caso dos deputados que estão em seu primeiro mandato, o governo estuda a liberação de três a cinco milhões de reais no orçamento; já para os veteranos, o valor chega aos R$ 15 milhões, sem, ainda, o contingenciamento de 20%. Os candidatos novatos não participaram da elaboração da Lei Orçamentária de 2018, portanto, não apresentaram suas emendas. Com o repasse dessa verba, no entanto, eles poderão adiantar a verba em suas bases eleitorais – um bom negócio para os novatos.

O assunto foi – e será durante os próximos meses – destaque no Bate Papo Político desta sexta-feira (22), no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 27 emissoras no Interior do Estado), entre os jornalista Luzenor de Oliveira e Beto Almeida. Para eles, desatar os nós do governo federal e abrir negociação nos estados, além desse ‘pacote de bondades’, são as principais saídas que o governo encontra para facilitar a aprovação das reformas.