Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após uma cirurgia concluída no domingo (28) que durou mais de 14 horas, os pais das gêmeas siamesas Maria Ysabelle e Maria Ysadora, 2, que nasceram unidas pela cabeça, conseguiram segurá-las no colo. Essa foi a quinta e última cirurgia que isolou uma menina da outra. O procedimento foi realizado no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, ligado a USP (Universidade de São Paulo).

O caso é único na história da medicina brasileira. A família das gêmeas, que é de Patacas, distrito de Aquiraz (CE), está em Ribeirão desde fevereiro, mês em que ocorreu a primeira cirurgia. A mudança ocorreu para dar mais conforto a todos e evitar deslocamentos aéreos.

A primeira cirurgia foi realizada em 17 de fevereiro e, assim como a segunda, feita três meses depois, foi bem-sucedida. Em agosto, foi a vez do terceiro procedimento, um dos mais complexos da série, que deixou os cérebros praticamente separados. Só na parte neurológica, a operação durou cerca de sete horas e mobilizou 25 pessoas.

No mesmo mês, passaram por um novo procedimento preparatório, com a implantação de expansores subcutâneos para dar elasticidade à pele. O valor de uma cirurgia como essa é calculado em US$ 2,5 milhões (R$ 9,1 milhões) na rede privada dos EUA. Na rede pública, como é o caso das meninas, o custo é menor.

Com informações Noticias ao Minuto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp