Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após dois anos seguidos de fechamento de postos de trabalho formais, o Brasil criou 221.392 vagas em 2017, segundo dados do Ministério do Trabalho divulgados nesta sexta-feira (28). O resultado inclui empregos com carteira assinada no setor privado e empregos no serviço público.

Em 2015, foram 1,5 milhão de vagas cortadas, o primeiro resultado negativo desde 1992. Em 2016, o país perdeu 2 milhões de vagas.

Os números fazem parte da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), um registro declarado anualmente por todas as empresas do país.

A Rais existe desde 1976, mas o ministério afirma que o levantamento passou por mudanças metodológicas que só permitem uma comparação estatística adequada com os dados a partir de 1985.

Minas lidera criação de vagas

Houve criação de emprego formal em 21 estados, com destaque para Minas Gerais (+82,2 mil), Goiás (+69,5 mil) e Bahia (+52,4 mil).

Rio de Janeiro perde 114,8 mil empregos

Por outro lado, cinco estados e o Distrito Federal cortaram empregos formais: Rio de Janeiro (-114,8 mil), São Paulo (-65,8 mil), Rio Grande do Sul (-8.510), Alagoas (-3.509), Distrito Federal (-4.021) e Pernambuco (-874).

 

 

 

 

Com informação do UOL