Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em mais um gesto para aproximar os jovens da Igreja Católica, o papa Francisco pediu aos párocos para se aproximarem dos jovens que escolhem morar juntos, mesmo sem que esses tenham firmado o matrimônio religioso. O pedido aconteceu durante um encontro sobre os novos processos matrimoniais, no Vaticano no último sábado.

“Façam-se próximos com o estilo próprio do Evangelho, no encontro e no acolhimento daqueles jovens que preferem conviver sem se casar. Eles, no plano espiritual e moral, estão entre os pobres e os pequenos, para os quais a Igreja, sobre o manto de seu Mestre e Senhor, quer ser a mãe que não abandona, mas que se aproxima e se preocupa”, disse o Pontífice.

Seguindo em seu conselho, o sucessor de Bento XVI afirmou que “também essas pessoas são amadas pelo coração de Cristo e tenham com eles um olhar de ternura e compaixão”. Francisco ainda ressaltou que o “cuidado” com essas pessoas é “parte essencial da vossa obra de promoção e de defesa do sacramento do Matrimônio”.

Como recomendação, o Papa ainda destacou o cuidado com que os religiosos devem ter com todos os cristãos para não afastá-los da Igreja. “Uniões celebradas em Cristo, uniões de fato, uniões civis, uniões que fracassaram, famílias e jovens felizes e infelizes. Para cada pessoa e para cada situação, vocês são chamados a serem companheiros de viagem para testemunhar e apoiar”, acrescentou.

Mesmo sendo criticado pela ala conservadora da Igreja, Jorge Mario Bergoglio vem insistindo e abrindo o caminho para os casais considerados “fora de padrão” da tradição católica. No ano passado, ele permitiu que padres de qualquer paróquia possam conceder a comunhão para pessoas divorciadas que vivem um novo casamento. Para Bergoglio, é preciso que a Igreja acolha essas pessoas em vez de afastá-las.

(Fonte: Agência Ansa)