Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A decisão da Petrobras de conceder nesta sexta-feira, 17, o reajuste de 5,18% na gasolina e 14,25% no diesel, levou os deputados federais do Ceará a criticar o aumento.

“É um escárnio, diante de uma estatal que vem amealhando taxas de lucro muito superiores àquelas do setor privado, e de uma situação de terrível crise econômica e social no país”, disse André Figueiredo, líder do PDT na Câmara.

Outro pedetista, Eduardo Bismarck qualificou o aumento de ‘irresponsabilidade'. “Irresponsáveis! Insensível esse aumento, logo após nós, deputados, termos cortado na própria carne, diminuindo o ICMS e a capacidade de investimento de estados e municípios”, relembrando a votação do projeto que limita o ICMS sobre Combustíveis.

Já o deputado federal Domingos Neto (PSD) informou que os parlamentares irão debater na próxima semana a política de preços da Petrobras, responsável pela série de reajustes.

“Por isso que será pautada (na Câmara dos Deputados) a revisão da política de preços, para que a Petrobras passe a ter verdadeiramente uma função social”, revelou.

Os petistas José Nobre Guimarães e Luizianne Lins também responsabilizaram a política de preços da Petrobras. “não é culpa dos governadores, mas da política de preços dolarizada”, informou a ex-prefeita de Fortaleza.