Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O governador Camilo Santana (PT) e o senador Cid Gomes (PDT) acompanharam e participaram de articulações para escolha do deputado estadual Evandro Leitão (PDT) para presidir a Assembleia Legislativa no biênio 2021/2022. O anúncio dos nomes da nova mesa diretoria será feito nesta segunda-feira a partir das 15 horas na Assembleia Legislativa. O deputado estadual Antonio Ganja, também, do PDT, surge como o nome para a Primeira Secretaria, enquanto o petista Fernando Santana deverá permanecer na Primeira Vice-Presidência da Mesa Diretora.

A eleição para o comando do Legislativo Estadual será antecipada e a escolha de Evandro Leitão se dará nesta quinta-feira (10). Evandro vai suceder o atual presidente José Sarto (PDT) que, no dia primeiro de janeiro de 2021, assume a Prefeitura de Fortaleza.

Além de Evandro, outros três pré-candidatos entraram na briga pela Presidência da Assembleia Legislativa – Zezinho Albuquerque, Sérgio Aguiar e Tin Gomes. Zezinho, que já presidiu a Mesa Diretora por três mandatos, não encontrou apoio da base parlamentar, nem da cúpula do PDT.

Sérgio, que foi o pivô, em 2016, da maior crise do grupo político liderado pelos irmãos Cid e Ciro Gomes, quando se rebelou e se lançou candidato a presidente da Assembleia, ainda tem arestas com a cúpula do Palácio da Abolição e do PDT. O sonho de Sérgio Aguiar de comandar o Legislativo Estadual fica adiada. A frustração fica, também, para o deputado Tin Gomes, que não conseguiu avançar nas articulações para angariar apoio e viabilizar a candidatura.

BATE PAPO


Os bastidores da disputa pela presidência da Assembleia Legislativa ganharam destaque, nesta segunda-feira, no Bate Papo Político, do Jornal Alerta Geral, entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida. O Alerta Geral é gerado pela Rádio FM 104.3, tem transmissão pela Rádio 107.5 – Grande Fortaleza, por outras 24 emissoras de rádio no Interior do Estado e pelas redes sociais do Ceará Agora.

“Zezinho Albuquerque que queria, que começou a trabalhar cedo para voltar pela quarta vez a presidência da Assembleia Legislativa, mas em uma linguagem mais popular foi barrado no baile. O outro também Sérgio Aguiar, ainda mantém colisão com setores do PDT e do próprio governo e não gerou nesse momento uma relação de confiança para ser emplacado como presidente da Assembleia Legislativa”, diz Luzenor

Luzenor observa que o presidente eleito na Assembleia Legislativa terá em 2021 uma missão especial, pois na hierarquia do poder executivo estadual o terceiro nome que assume o poder em caso de vacância é o do líder da casa. Em 2022, se o governador Camilo Santana afastar-se para disputar o mandato de Senador ou Presidente da República, a vice Izolda Cela assume, mas se ela também renunciar, caberá ao presidente da AL assumir, ou de forma interina por 30 dias ou cumprindo um mandato tampão sendo eleito de forma indireta.

“A disputa para a presidência da Assemblei Legislativa, ela é sempre muito visada, é um cargo de alta visibilidade, em que na realidade o presidente da casa ele é testado principalmente em sua capacidade de articulação política e também de gestor, na realidade é uma experiência que se ganha pra gerir um poder legislativo, é o poder legislativo estadual. Por isso que essa disputa, independente de 2022 ter esse componente a mais, que torna de fato a disputa mais interessante, mas é um cargo que é sempre visado, nunca é uma sucessão que se dá de forma tranquila”, diz o jornalista Beto Almeida.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp