Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dos produtos pesquisados mensalmente pelo Procon, 33  dos 47 avaliados ficaram com os preços mais caros nesse mês em comparação com setembro. A pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 26, mostra que a soma de todos os produtos passou de R$ 265,89 para R$ 274,13, nos meses de setembro e outubro, respectivamente.

Entre os itens avaliados, o tomate e derivados enlatados, batata, feijão e açúcar foram os alimentos que mais tiveram a alta nos preços, quase dobrando o valor em comparação às pesquisas feitas em setembro. A pesquisa foi realizada pelo Procon, entre os dias 23 e 24 deste mês em 10 supermercados , levando em consideração os preços de produtos da mesma marca e mesmo peso, mostrando que a diferença de preço em produtos pode ser até 4,5 vezes mais caro de um supermercado para outro.

Os produtos que apresentaram maiores variações foram: O alho com 364´29%; o tomate com 241,84%; a cebola com 241,84%; a banana com 222,22%; a batata com 169,02%; a farinha de mandioca com 119,74%; a esponja de aço com 103,10%; o pimentão com 100,50%; e a cenoura com uma variação de 100,00%.

Com informações do Diário do Nordeste