Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A quarta etapa da Operação Andaime teve inicio nesta sexta-feira (27) para cumprir cinco mandados de prisão. Quatro prisões preventivas e uma prisão temporária, além de 12 conduções coercitivas e 22 mandados de busca e apreensão. As ações acontecem nas cidades de João Pessoa, Cajazeiras e em Jaguaribe, no Ceará.

O processo está em segredo de justiça e por esse motivo a Polícia Federal não deve repassar mais detalhes sobre a ação. O MPF solicitou a quebra do sigilo.

Segundo o MPF, a quarta etapa da operação é resultado da continuidade de outras fases investigativas, destinadas a apurar irregularidades em processos licitatórios e contratações públicas em prefeituras da Paraíba.

Entre as fraudes foram identificados problemas em procedimentos licitatórios, desvios de recursos públicos, lavagem de dinheiro por intermédio de empresas fantasmas, venda de notas fiscais frias e emissão irregular de boletins de medição de obras públicas.

Em Cajazeiras, os delitos relacionados a obras de pavimentação contratadas entre 2008 e 2016 persistiram mesmo após deflagração da primeira fase da operação. As obras na cidade do Sertão da Paraíba envolveram a alocação de verbas superiores a R$ 27 milhões, majoritariamente vindas de repasses firmados com o governo federal, por meio dos ministérios das Cidades e do Turismo.

A operação foi nomeada Andaime por conta das fraudes acontecidas em empresas do ramo da construção civil, com a participação de diversos engenheiros e fiscais de obras das prefeituras.

Com informações O Estado de São Paulo