Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os proprietários de carros-pipa decidiram, nessa terça-feira, suspender o transporte de água para comunidades mais castigadas pela estiagem no Interior do Ceará. A medida foi tomada como protesto contra o atraso de pagamentos. Em alguns casos, os donos de carros-pipa não vêem a cor do dinheiro há cinco meses. O programa de distribuição de água para abastecer a população dos municípios que sofrem com a seca está sob a responsabilidade da Defesa Civil e é coordenada pela 10ª Região Militar em Fortaleza. Essa não é a primeira vez que os pipeiros cobram o pagamento pelos serviços prestados, mas é a manifestação de maior repercussão realizada no Ceará. É injustificável que um programa considerado prioritário na agenda do Governo Federal – como é o abastecimento de água para comunidades pobres e afetadas pela estiagem, seja suspenso porque a burocracia impede o seu bom funcionamento. Os donos de carros pipa tem razão ao suspenderem o transporte de água. Afinal, é muito difícil continuar pagando a conta de salários de motoristas, combustível e manutenção dos veículos sem o recebimento dos pagamentos. A Defesa Civil do Exército, que coordena o programa de carros pipa, além de agilizar o desembolso dos recursos ´para os responsáveis pelo transporte da água, precisam, também, ser atuante e rigorosa para coibir as fraudes nesse programa que é tão importante para garantir o abastecimento nas comunidades onde as fontes de água estão secas. Confira o editorial completo no player abaixo:

Editorial 18.01