Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente Michel  Temer deu pareceres finais sobre o plano “Avançar”, criado para substituir oPrograma de Aceleração de Crescimento, o PAC. A previsão de investimento é de R$ 59 bi até o final de 2018. O intuito do programa é transmitir uma mensagem de andamento econômico.

De acordo com o documento do plano, os recursos serão exclusivamente públicos mesmo com as restrições orçamentárias. Com isso, o “Avançar” ficaria livre de eventuais contingenciamentos causado por investimento privado  Segundo os assessores da presidência, esse dinheiro inflava os balanços do programa adotado nas gestões dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Aproximadamente um terço do investimento (R$ 22,7 bi) vão para a área de transportes. Serão ações como duplicação de 2,3 mil quilômetros de estradas, dragagem de pelo menos seis pontos e 1,2 mil quilômetros de trilhos, entre outros pontos.

A expectativa é de que, até o final de 2018, trechos de todas as obras sejam entregues. E uma destas obras é a do eixo norte da transposição do Rio São Francisco, que passará no sul do Ceará. O trecho teve um lote relicitado no início deste ano.

Além deste eixo, o “Avançar” vai englobar outras áreas como habitação, com investimento de R$ 15,7 bi, saneamento básico emobilidade urbana; R$ 13,5 e R$ 7,4 bi para saúde, educação, recursos hídricos, cultura, turismo e esporte.

Para corresponder as expectativas, o documento recomenda que os ministérios não devem incluir obras que corram risco de não serem finalizadas no prazo estimado.  Além disso, o governo também pretende acelerar a tramitação de projetos que atrasem a entrega de obras, como a Lei Geral do Licenciamento Ambiental e uma legislação para facilitar desapropriações.

Com informações do Valor Econômico