Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O PT aprovou nesta sexta-feira, durante reunião de seu  , os eixos centrais do programa de governo do partido para a disputa presidencial. O texto fala em promover reformas dos sistemas bancário e de Justiça. A legenda planeja registrar a candidatura de Lula no dia 15 de agosto, apesar de o ex-presidente preencher os requisitos para ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Os pontos centrais do programa foram apresentados pelo ex-prefeito Fernando Haddad, um dos cotados para substituir Lula na cabeça da chapa e responsável pela coordenação da elaboração do documento.

O texto divulgado nesta sexta-feira é dividido em cinco temas: 1 – promover a soberania nacional e popular na refundação democrática do Brasil; 2 – iniciar uma nova era de afirmação de direitos; 3 – liderar um novo pacto federativo para a promoção de direitos sociais; 4 – promover um novo modelo de desenvolvimento; e 5 – iniciar a transição ecológica para nova sociedade do século 21.

As propostas não foram detalhadas. O item 1 fala em “revogação das medidas do governo golpista (legislação e privatizações)”. O programa cita a ideia de um “processo constituinte”.

No item 2, o partido diz que pretende “reformar o sistema de Justiça para garantia de direitos” e implantar a renda básica de cidadania. O PT é crítico da Operação Lava-Jato e dos métodos adotados pela operação, principalmente do mecanismo das delações premiadas.

O programa também prevê a “federalização do combate ao tráfico de drogas”. São abordadas ainda “a reforma tributária para o desenvolvimento, com justiça social e distribuição de renda e riqueza” e a “reforma bancária para aumentar o crédito barato às famílias e empresas”.

 

Com informações O Globo