Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O porta-voz da Polícia Militar do Rio de Janeiro, major Ivan Blaz, concedeu entrevista ao Bom Dia Rio na manhã desta sexta-feira (10), e tentou acalmar a população. Pediu que as pessoas evitem acreditar em boatos espalhados por quem aposta no caos e que busquem informações pelos perfis oficiais da corporação nas redes sociais.

Segundo ele o policiamento transcorre tranquilamente. “De fato estamos lidando com uma grande insatisfação da tropa, uma vez que ainda estamos ansiando pelo 13º salário, o pagamento do salário em dia e várias questões que são direito dos policiais”, explicou, acrescentando que o debate dos comandantes com suas tropas é fundamental para conscientizar a todos sobre a necessidade de lutar pelos próprios direitos sem afetar a rotina dos cidadãos.

“Diferentes setores do nosso Estado clamaram pela permanência, principalmente temendo a nossa ausência. Já fazemos parte de um estado violento. Sem a Polícia Militar, que está realmente ali, na barreira entre a barbárie e a civilidade, não sabemos onde iríamos chegar. Hoje é importante que a Polícia Militar esteja nas ruas, porque é defender a sociedade e os nossos familiares e o modo de vida como conhecemos”, destacou Blaz.

Sobre as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), o porta-voz destacou a necessidade de manter o território ocupado. “É importante que falemos sobre a figura das UPPs, que há muito tempo já clamam por melhorias nas estruturas físicas, além de questões financeiras. Os familiares estão se posicionando, mostrando a sua participação. Mas, acima de tudo, é importante mostrar que a nossa presença naquele terreno em pacificação é fundamental. Deixar aquele terreno para depois retomá-lo será um grande trabalho”, contou Blaz.

 

Fonte: G1 CE