Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O PMDB já considera garantida a eleição do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) como novo presidente do Senado. A certeza deve-se a decisão da maioria da bancada do PT de participar da chapa que está sendo fechada para eleição do líder peemedebista. Eunício não deve enfrentar resistências e até mesmo uma possível candidatura avulsa foi praticamente descartada. As informações são do Jornal O Globo.

O PMDB, agora quer acomodar presidente Renan Calheiros em um cargo onde possa continuar exercendo poder na Casa. No próximo dia 26, a bancada deverá definir o nome do senador que ocupará a segunda vice-presidência no lugar do senador Romero Jucá (PMDB-RR). Renan, por sua vez, deverá ser o novo líder do partido. Os outros pretendentes como Eduardo Braga (PMDB-AM) e Raimundo Lira (PMDB-PB) seriam realocados em cargos na Mesa ou no comando de comissões importantes.

Para evitar desgastes, Eunício resolveu ficar fora da disputa pela liderança e escolha de comissões e cargos na Mesa, delegando essa tarefa para a bancada.

Os senadores Lindbergh Faria (PT-RJ) e a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) até manifestaram, em reunião da bancada, desejo de apoiar um candidato avulso, para não serem acusados de estar apoiando um candidato “do golpe”, mas o risco de ficar sem cargos na Mesa, fez o partido fechar com Eunício. O PT deve ficar com a primeira secretaria.

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), incomodado com a candidatura de Eunício, chegou a sondar outros peemedebistas para que disputassem a presidência com o cearense, entre eles: Garibaldi Alves (RN), Valdemir Moka (MS) e Simone Tebet (MS), mas nenhum aceitou.