Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) agiu rápido e descobriu que um homem foi morto a mando de sua esposa e cunhados – presos horas após o crime. O caso ocorreu no município de Farias Brito – Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11) do Estado. As investigações levaram os policiais à viúva, aos seus dois irmãos e a um adolescente de 13 anos como responsáveis pelo delito, ocorrido na manhã de ontem (04). Eles foram capturados logo em seguida e confessaram a articulação criminosa.

O trabalho policial, desenvolvido em conjunto por equipes das Delegacias Municipal de Farias Brito e Regional do Crato, culminou nas prisões de Cícera Maria Alves Vieira (38), que responde por tráfico de drogas, e de seus irmãos Cícero Alves (53) e Cícero Alves Irmão (52), conhecido como “Bebé”, ambos sem antecedentes criminais. Eles são apontados como envolvidos no homicídio de Aparecido Félix Pereira da Silva. Todos foram encaminhados à unidade policial da cidade e autuados em flagrante.

A viúva e seus irmãos confessaram o crime em depoimento, alegando terem sido motivados pela suspeita de que Aparecido seria o autor da morte de seu sobrinho – crime supostamente causado por entorpecentes e ciúmes por parte do Aparecido. Esse caso ocorreu há alguns meses na cidade e também é investigado pela Delegacia Municipal. Cícera também disse à Polícia sofrer agressões e ameaças do companheiro. Para colocar o plano de morte em prática, ela e os irmãos contaram com o apoio de um adolescente de 13 anos. O menor recebeu dinheiro e um revólver calibre 38 para tirar a vida de Aparecido.

Enquanto o marido dormia, a mulher abriu a porta de casa para o infrator ir ao quarto e efetuar os disparos que acertaram as costas e a nuca dele. O adolescente também foi capturado e autuado em um ato infracional análogo ao crime de homicídio. A morte foi paga por Cícera e um de seus irmãos, enquanto o outro escondeu o revólver que foi utilizado. Ainda durante as diligências, os policiais encontraram esta e outras duas armas – espingardas cal. 12 e outra de fabricação caseira (que pertencia à vítima). Todos confessaram o delito, sendo os adultos autuados por homicídio qualificado por motivo fútil e por corrupção de menores. Já o menor, autuado em um ato infracional análogo ao crime de homicídio.

Fonte: SSPDS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp