Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da ZPE, Mário Lima, viajou a Brasília para participar de reunião no Ministério da Indústria e Comércio e Secretaria Nacional de ZPEs, que vai discutir planejamento crescimento da unidade do Pecém. Lima informa que a ZPE do Ceará está muito bem, funcionando normalmente e crescendo. “Nós estamos prevendo movimentar neste ano 8,5 milhões de toneladas pelos controles de exportações, mas temos planos para chegar aos 11
milhões de toneladas.” – informa.
SONDAGEM INDUSTRIAL
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgará nesta semana duas pesquisas: a Sondagem Industrial e a Sondagem Indústria da Construção, de abril. As pesquisas serão divulgadas no Portal da Indústria. A Sondagem Industrial de abril, feita 2.387 empresas, entre 2 e 12 de maio, revela a percepção dos empresários sobre o desempenho da produção, do emprego, dos estoques e da utilização da capacidade instalada da indústria em abril. Mostra ainda as expectativas, em maio, para os próximos seis meses sobre a demanda, as exportações, o emprego e a compra de matérias-primas.
SONDAGEM INDUSTRIAL 2
A outra pesquisa mostra a percepção dos empresários da construção sobre a utilização da capacidade de operação, o nível de atividade e o número de empregados de abril. Também revela as expectativas em maio para os próximos seis meses sobre o nível de atividade, os novos empreendimentos e serviços, as compras de insumos e o número de empregados. A pesquisa foi feita entre 2 e 12 de maio com 621 empresas do setor.
ALTOS E BAIXOS 1
A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de 0,24% em maio, ficando 0,03 ponto percentual acima dos 0,21% registrados em abril. Apesar da alta, o resultado acumulado nos primeiros cinco meses do ano ficou em 1,46%, bem abaixo dos 4,21% referentes ao período de janeiro a maio de 2016.
ALTOS E BAIXOS 2
Os dados foram divulgados ontem (23) pelo IBGE e indicam que o IPCA-15 acumulado nos últimos doze meses, caiu para 3,77%, abaixo dos 4,41% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores e constituindo-se na menor variação acumulada em períodos de 12 meses desde os 3,71% registrados em julho de 2007. Em maio de 2016, a taxa havia sido de 0,86%.
REMÉDIO AMARGO
A ligeira alta de maio em relação a abril foi pressionada pelos preços dos remédios, que subiram 2,08% e causaram impacto de 0,07 ponto percentual nos 0,24% do IPCA-15 relativo ao mês. Segundo o IBGE, a pressão no preço dos remédios foi consequência do reajuste anual que passou a valer a partir de 31 de março, variando entre 1,36% e 4,76%, conforme o tipo de medicamento. Isto resultou numa alta de 2,96% em relação aos preços dos medicamentos em abril (alta de 0,86%); e de 2,08% em relação a maio.
SUJEIRA
A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais apresenta levantamento inédito, que traz o ranking nacional sobre o número de lixões e vazadouros
ainda em operação no País. O estudo mostra que ainda existem em operação 2.976 unidades de destinação inadequada de resíduos em todos os estados brasileiros.
RANKING DE LIXÕES
A Bahia apresenta o maior número de unidades de destinação inadequada de resíduos, com 359 vazadouros a céu aberto responsáveis por receber 8 mil toneladas de resíduos/ dia. Logo depois, vem o Maranhão, com 250 lixões em operação, seguido de Minas Gerais, que ainda conta com 246 locais inadequados para destinação de resíduos. O Ceará possui 156 locais inadequados ainda em operação e aparece em 8º no ranking.
MALEFÍCIOS
Em todo o país, estas unidades irregulares recebem quase 30 milhões de toneladas por ano, equivalente a mais de 40% dos resíduos coletados. Esse volume de resíduos em locais inadequados impacta a vida de cerca de 77 milhões de pessoas, cuja saúde é exposta aos malefícios dos lixões e aterros controlados, além da degradação causada ao
meio ambiente.
SAÚDE PAGA
Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2015, ainda são 3.334 municípios que fazem uso de unidades inadequadas para destinação de seu lixo, o equivalente a 60% das cidades brasileiras, que não conseguiram reunir condições para acabar com essa prática inadequada. Além de todos os impactos negativos, a manutenção desses lixões traz um custo adicional de R$ 1,5 bilhão por ano para os sistemas de saúde, que acabam sendo onerado pelo tratamento das diversas doenças causadas pela má gestão de resíduos.
CAMINHO PARA DEVASTAÇÃO
Sem alterações, o Senado ratificou duas medidas provisórias que reduzem a proteção de 597 mil hectares de áreas protegidas na Amazônia, o equivalente a quatro municípios de São Paulo. As medidas provisórias 756 e 758, que abrem caminho para a legalização de grileiros e posseiros, haviam sido aprovadas pela Câmara na semana passada e agora seguem para sanção ou veto do presidente Michel Temer.

PRECISA-SE
O Ministério do Trabalho lançou na terça-feira (23) o , desenvolvido pela Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), para que os trabalhadores encontrem, de forma prática e rápida, vagas adequadas ao seu perfil. O aplicativo também permite que o usuário acompanhe a situação do benefício do seguro-desemprego e tenha acesso a informações sobre abono salarial, entre outros serviços.
FÁCIL E SEGURO
O aplicativo é gratuito, já está disponível para o sistema operacional Android e em breve será oferecido para a plataforma iOS. Para usar o Sine Fácil, o trabalhador precisa ter um código de acesso (QR Code) obtido no portal Emprega Brasil, plataforma que reúne diversos serviços do Ministério do Trabalho. O código de acesso é individual, o que garante segurança às informações e agilidade no atendimento. Ele pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares que têm câmera fotográfica e, após a decodificação, passa a ter conteúdo informativo.
PARA O PATRÃO
O aplicativo também tem serviços para os empregadores, que podem encontrar mais rapidamente profissionais com o perfil desejado. Em uma versão futura, será possível também verificar currículos, selecionar trabalhadores para participar de processos seletivos e consultar entrevistas agendadas.
INCENTIVO À GRILAGEM
A área de conservação mais afetada é a Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará, que pode perder 486 mil hectares (37% do total). A floresta será transformada Área de Proteção Ambiental (APA), que permite pecuária e mineração. Membros da bancada paraense, os
defensores das medidas provisórias, argumentam que a alteração visa pacificar a região e regularizar a posse da terra. Para ambientalistas e estudiosos, no entanto, a legalização de invasões incentivará mais grilagem de áreas protegidas.