Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em maio de 2017, o conjunto dos 12 produtos que compõem a cesta básica de Fortaleza registrou deflação de 4,39%, a maior entre as capitais pesquisadas, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em pesquisa divulgada nessa terça-feira.

Palmas (-4,25%), Salvador (-4,18%) e Vitória (-2,20%) também tiveram queda no preço da cesta básica. Já as elevações foram observadas no Recife (2,89%), São Paulo (2,83%) e Aracaju (1,96%).

Porto Alegre foi a cidade com a cesta mais cara (R$ 460,65). Os menores valores médios foram observados em Rio Branco (R$ 333,15) e Salvador (R$ 351,31).

Deflação

Segundo a pesquisa, a deflação no preço da cesta básica em Fortaleza foi influenciada pela queda no preço de 10 produtos, com destaque para o tomate (-11,23%), o feijão (-10,52%), o café (-7,75%), o óleo (-7,28%) e a farinha (-6,44%). Os produtos que apresentaram maiores elevações em seus preços foram a farinha (1,67%) e pão (0,48%).

O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças) foi de R$ 1.213,50 em maio. Segundo o Dieese, em maio de 2017, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.869,92, ou 4,13 vezes o mínimo de R$ 937,00.