Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito José Sarto (PDT) anunciou, nesta segunda-feira, 4, o envio de Projeto de Lei à Câmara Municipal para criação de cargos para convocação de 58 profissionais do cadastro reserva referente ao concurso público para cargos de nível superior na área da saúde mental, entre enfermeiros, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e psicólogos.

“Estou enviando o projeto hoje mesmo para a Câmara de Vereadores. Após aprovação, vamos convocar esses profissionais de nível superior para reforçar o atendimento e nos ajudar a melhorar a abordagem de saúde mental em Fortaleza”, afirmou o prefeito José Sarto.

O anúncio do Projeto de Lei que cria os novos cargos ocorreu durante o Seminário Intersetorial da Saúde Mental de Fortaleza, evento promovido pela Prefeitura em parceria com a organização global de saúde Vital Strategies e o Instituto Cactus.

As novas contratações representam um investimento de R$ 271,2 mil por mês, que incrementará a Rede de Saúde Mental. O concurso para atuação na Rede de Atenção Psicossocial do Município (RAPS), realizado em 2018, convocou 88 profissionais, conforme previsto no edital. O contingente adicional de 58 profissionais será convocado após aprovação do Projeto de Lei pelos vereadores.

A contratação efetiva realizada mediante concurso garante uma continuidade nos atendimentos aos pacientes.

“O vínculo efetivo do profissional com o paciente na área da saúde mental é de extrema importância na continuidade do tratamento multiprofissional”, explica Arildo Lima, gerente da Célula de Saúde Mental de Fortaleza.

Rede de Atenção Psicossocial

A Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) de Fortaleza é composta por 23 equipamentos, sendo 15 Centros de Atenção Psicossocial (seis gerais, dois de atendimento infantil e sete de atendimento a dependentes de álcool e outras drogas), cinco unidades de acolhimento para dependentes químicos e três residências terapêuticas.

Além disso, há uma rede de apoio à internação com 25 leitos infantojuvenis na Sociedade de Assistência e Proteção à Infância de Fortaleza (Sopai) e 12 leitos para desintoxicação na Santa Casa de Misericórdia.

A média mensal de atendimentos é 14,5 mil nos seis CAPS Gerais, 8,5 mil nos sete CAPS AD e 3,5 mil nos dois CAPS Infantis. Dentre as principais demandas atendidas estão: os transtornos mentais comportamentais, como autismo e esquizofrenia, episódios depressivos, distúrbio de conduta, bipolaridade, dependência de álcool e outras drogas, entre outros.

O serviço é porta aberta, no qual o usuário pode procurar diretamente, ou ser encaminhado por um dos 116 postos de saúde da Capital, que atendem, entre outras necessidades, demandas de saúde mental. Nos CAPS é feita uma avaliação inicial e, de acordo com a necessidade do usuário, é feito o encaminhamento aos serviços de cada unidade.

(*) Com informações Prefeitura de Fortaleza

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp