Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito Roberto Cláudio apresentou nessa quarta-feira (26), o balanço semanal dos dados epidemiológicos da Covid-19 em Fortaleza. Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o Gestor informou, por meio de gráficos, os dados mais recentes acerca da pandemia do novo coronavírus na Capital.

Conforme Roberto Cláudio, os melhores marcadores de acompanhamento da pandemia são o número de óbitos confirmados em decorrência da doença e os dados assistenciais sobre a demanda por leitos de enfermaria e de terapia intensiva.

“Trouxemos essas duas informações para prestar conta desse monitoramento e dessa tendência no Município”, destacou o Prefeito, lembrando que os dados também são imprescindíveis para planejar o processo eventual de abertura e liberação de atividades econômicas.

O primeiro gráfico apresentado foi o do número de óbitos confirmados por Covid-19, o qual registrou o momento mais trágico da pandemia na 20ª semana, quando foi registrada uma média diária de 87 mortes pela doença.

“Para termos uma ideia de comparação, na nossa pior epidemia de dengue da história, faleceram 39 pessoas em um ano. Isso mostra a gravidade que Fortaleza, o Brasil e o mundo estão vivendo”, acrescentou o Gestor.

A partir da 20ª semana, os dados têm apresentado um panorama cada vez mais positivo. De acordo com o balanço, Fortaleza se encontra, neste momento, na 15ª semana consecutiva de queda consistente na média diária de óbitos. Na última semana, a média foi de 1,6 óbito, sendo o menor número desde o início da pandemia.

“Já nesta semana, como ainda não terminou, o consolidado não foi finalizado, mas já mantivemos uma tendência de estabilidade, com 0,3 óbito diário, o que significa que em alguns dias, não tivemos nenhuma morte confirmada”, disse.

Em outro gráfico, Roberto Cláudio apresentou os dados assistenciais, que sintetizam a demanda por leitos hospitalares em decorrência da infecção por coronavírus em Fortaleza. Nas últimas semanas, os indicadores apontam que em alguns dias, nenhum paciente deu entrada na rede pública de saúde demandando internação por Covid-19 em leito de terapia intensiva.

“Na semana passada, por exemplo, somente em um dia, apenas um paciente deu entrada precisando de leito de UTI. Nos demais, não tivemos nenhum novo paciente com essa demanda”, acrescentou.

O Gestor lembrou, ainda, que os dados apresentados demonstram uma tendência bastante estável de queda na intensidade da circulação viral e das suas consequências, como o número de casos confirmados e de internações.

“Isso não aconteceu por acaso. O isolamento social precoce e rígido, os critérios, muitas vezes mal compreendidos, mas fundamentais, de retomada das atividades cotidianas e econômicas têm nos ajudado a enfrentar o problema”, completou.

Roberto Cláudio reforçou que a pandemia não acabou e que os cuidados básicos, como o uso de máscara e o cumprimento dos protocolos estabelecidos em decreto devem continuar.

Pesquisa de soroprevalência

Uma parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado, a pesquisa de soroprevalência para Covid-19 chega à sua terceira etapa no próximo dia 1º de setembro, conforme o Prefeito. Serão realizados mais 3.300 testes em diferentes regiões, classes sociais e faixas etárias, com a participação de 110 enfermeiros e alunos voluntários para estimar o índice de imunização da população de Fortaleza para o coronavírus.

“Esta pesquisa é muito importante para orientar os próximos passos da abertura e retomada das atividades econômicas e cotidianas. Peço que acolham bem esse pessoal e colaborem para que tenhamos resultados rápidos e confiáveis para nos orientar no enfrentamento à pandemia”, finalizou Roberto Cláudio.

(*)com informação da PMF

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp