Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito Roberto Cláudio anunciou que a feira de confecções que ocupa a Rua José Avelino e seu entrono será remanejada no dia 14 de maio. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (17/02) durante reunião com representantes do comércio formal e informal; do diretor do Foro da Justiça Federal do Ceará (JFCE), Bruno Carrá; do promotor do Ministério Público do Ceará, Raimundo Batista de Oliveira, entre outras autoridades. O principal objetivo da reunião era debater alternativas de desocupação do local e definir um cronograma de ações.

O acordo foi consensual entre todos os presentes e a data estipulada para o último dia da feira José Avelino será no dia 14 de maio. De acordo com o prefeito Roberto Cláudio, até esta data, haverá um grupo de trabalho entre Prefeitura e conselho dos feirantes para cumprir algumas etapas e compromissos acertados. O primeiro passo será cadastrar, já a partir da próxima semana, todos os feirantes que ocupam o espaço. Além disso, a Prefeitura irá garantir cerca de 300 boxes públicos que estão localizados no Mercado São Sebastião e no Beco da Poeira possam ser ocupados por quem hoje atua na feira. Os critérios para entrega e escolha da ocupação dos boxes serão definidos pelos próprios feirantes.

Outro compromisso definido foi a criação de novas linhas de ônibus para melhorar o fluxo dos compradores e comerciantes entre os mercados que estão no entorno. Além disso, no dia 15 de maio, serão iniciadas obras no local para requalificação das Ruas Alberto Nepomuceno e José Avelino. “Após o último dia de feira, vamos ter uma intervenção com obras no espaço entre as duas vias e as intervenções irão permitir a recuperação de calçadas, vias, além da implantação de uma nova iluminação e canteiro central. A ideia é uma intervenção urbana para termos a certeza que os comerciantes informais não retornem para o espaço inadequado”, explicou Roberto Cláudio.

Outro ponto definido foi que a Prefeitura de Fortaleza vai reforçar ainda mais a fiscalização. “Faremos uma força-tarefa integrada de fiscalização entre AMC, Guarda Municipal, Agefis e PM para um funcionamento adequado e que não tenha nova ocupação. Vamos também dar um prazo para que os galpões se regularizem com alvarás”, disse o Prefeito.

A feira da José Avelino traz inúmeros problemas aos feirantes e para a cidade. Por ser ilegal, não tem segurança, gera 40 toneladas de lixo diariamente, há ligação clandestina de energia elétrica, o trânsito fica desordenado, estimula o trabalho infantil, evasão fiscal, ocupação irregular de calçadas, contribui para a degradação de pavimento de relevância histórica e se distância do planejamento da cidade no Fortaleza 2040.

“Aquela área deverá passar por estímulos de outras atividades comerciais. Queremos abrigar também um corredor turístico voltado para atrair mais cultura. Porém, sabemos que milhares de famílias dependem da feira e que buscam renda e sobrevivência de maneira legítima, através do trabalho. Por isso vamos estimular a ida para estes 10 mil boxes que estão disponíveis em Fortaleza. Este número representa quase o dobro que está na José Avelino ”, comentou Roberto Cláudio.