Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito Roberto Cláudio inaugurou, na manhã desta segunda feira (22/05), no posto de saúde Luiz Franklin em Messejana, uma sala de apoio à mulher que amamenta. Equipado com poltrona reclinável, geladeira e frascos apropriados para armazenamento de leite materno, o espaço é destinado a gestantes que precisem de orientação para amamentar ou que queiram doar leite materno.

Os técnicos do posto de saúde foram capacitados pelos profissionais do banco do leite do Hospital Infantil Albert Sabin. “Nós mulheres sabemos que é um momento delicado. Às vezes, a pega está errada, a mãe acha que não tem leite e hoje nós estamos proporcionando mais um apoio para as mães e bebês que precisam desse elo tão forte”, disse a coordenadora da Saúde da Criança e do Adolescente da SMS, Gerly Anne Nobrega Barreto. As mães que produzem muito leite materno também podem procurar a sala para a doação. O leite será armazenamento e enviado para o Hospital Infantil Albert Sabin, parceiro da Prefeitura, onde será pasteurizado e encaminhado para os bebês da UTI Neonatal. Cada litro de leite doado pode alimentar até 10 bebês prematuros em um único dia

Essa é a segunda sala de apoio à mulher que amamenta inaugurada pela Prefeitura de Fortaleza. A primeira está dentro do posto de saúde Rigoberto Romero, na Cidade 2000. Até o final do ano, outras duas unidades serão entregues, uma no Hospital Gonzaguinha da Barra do Ceará e outra no Hospital Nossa Senhora da Conceição no Conjunto Ceará. A iniciativa faz parte de um conjunto de ações para reduzir a mortalidade infantil em Fortaleza. “Reinstalamos o comitê de acompanhamento dos óbitos fetais para sabermos as causas e prevenirmos de forma mais dirigida. Além disso, estamos criando o selo de unidade saúde básica amiga da criança, para que postos de saúde possam atender recém-nascidos, ter um diagnóstico precoce, tratar a patologia, reduzir os riscos e consequentemente a mortalidade infantil”, explicou o Prefeito.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que o aleitamento materno comece já na sala de parto e que seja exclusivo e em livre demanda até o 6º mês e se estenda até 2 anos ou mais. É o alimento mais completo para o bebê. A vendedora Lúcia Souza está grávida pela primeira vez e espera uma menina para o mês de julho. Ela faz o pré natal no posto Luiz Franklin e aproveitou a consulta de rotina para conhecer a nova sala. “Espero que eu entre nela pra doar. Sei que é um bom momento, mas pode não ser fácil”, disse. Vale lembrar que quanto mais a mama é estimulada (seja para doação ou para alimentação do bebê), mais leite, a mãe será capaz de produzir.

Com informação da A.I