Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O pragmatismo está falando mais alto e os comandos do PT e do PC do B decidiram acelerar as negociações com o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), que concorre à reeleição, para garantir cargos na nova Mesa Diretora do Legislativo. O Presidente da Executiva Nacional do PT, Rui Falcão, defendeu, também, conversações com o deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que, também, sonha com o lugar de Rodrigo Maia.

A movimentação dos dirigentes nacionais do PT e PC do B irritou o cearense André Figueiredo, que recebeu apoio da bancada do PDT para disputar à Presidência da Câmara Federal. Segundo Figueiredo, com essa estratégia, o PT e o PC do B trocam princípios por cargo.

‘’Não sei o que levou o PT a ter essa hesitação, talvez por parte de alguns setores ou de alguns parlamentares tanto do PT como do PC do B mais pragmáticos, que talvez estejam defendendo a ocupação de um espaço na Mesa em detrimento da coerência com seus princípios’’, expôs Figueiredo, em entrevista ao Jornal Folha São Paulo.

Surpreso com a mudança de rumo de virtuais aliados, André Figueiredo disse que ‘’no primeiro momento, eu realmente resisti à tese de lançar uma candidatura do PDT, até porque achava que o PT iria lançar uma candidatura como maior partido da oposição’’. O pedetista afirmou, ainda, que ‘’Não lançando, começaram deputados do próprio PT a instigar o PDT a apresentar uma opção. Conversei com vários parlamentares do PT, do PC do B, da Rede e do PSOL e tivemos a expectativa de que, já num primeiro momento, pudéssemos apresentar uma candidatura que representasse a unidade do nosso campo político’’.

Os novos rumos do PT e do PC do B, segundo André Figueiredo, provocam frustração. ‘’É frustrante não para mim. É frustrante para quem confia nesses partidos, para quem veste a camisa deles. É absolutamente lamentável alguns parlamentares realmente defenderem a tese de que é necessário trocar seus princípios por cargos. Isso é um absurdo e rechaçamos qualquer hipótese disso. Movimentos sociais que têm uma identidade com PT e PC do B não aceitarão a possibilidade de que esses partidos tomem a decisão de caminhar ao lado de candidatos da linha de frente do golpe’’

Segundo, ainda, André Figueiredo, o PT e o PC do B, com a decisão de apoiar Rodrigo Maia, rasgam a própria história.  ‘’
É o esfacelamento da história do PT, do PC do B. Você ter a opção de votar num candidato que representa a história e os princípios do nosso campo e acabar votando num candidato que representa justamente aquilo que combatemos, é um grande tiro no pé. Têm uma opção que foi instigada por eles mesmos. Não foi ideia do PDT’’.

O presidente do PT, Rui Falcão, defendeu, nessa quinta-feira,  uma negociação com candidatos da base aliada do governo Temer à presidente da Câmara: Rodrigo Maia e Jovair Arantes. Para sustentar seu ponto de vista, Falcão alegou que o partido não tem condições de liderar um movimento de massa capaz de boicotar a sucessão no congresso. Participantes da reunião sinalizaram com a possibilidade de acordo com candidatos da base governista para a eleição do comando da Câmara e do Senado.