Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: Reprodução.

O último sábado (15) foi marcante para Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e o Ensino Superior cearense. Isso devido a formatura de 28 pessoas no mestrado profissional em Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade Continuada (MP-Safety), a primeira turma formada pelo ITA fora de São José dos Campos-SP, onde fica a sede da instituição e local da colação. O curso foi ministrado em Fortaleza, em parceria com o Governo do Ceará, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), e apoio do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Esta turma pioneira foi aberta no final de 2015 após uma articulação do Governo do Ceará, que, para a vinda do curso de mestrado, chegou a investir cerca de R$ 3,7 milhões. Mais duas turmas estão em formação na capital cearense, a segunda tendo iniciado o curso em março de 2017 e a terceira no mês de setembro de 2018.

As dissertações apresentadas pelos 28 mestres se desmembraram em um recorte voltado para a segurança e navegabilidade, como por exemplo: Aviação de Segurança Pública; Negócios em Aviação; Terrorismo; Gerenciamento de Crises; Fatores Humanos; Seguro Aeronáutico; Controle do Espaço Aéreo; Instrução Aérea; Meteorologia; Aeronaves Não-Tripuladas; Aerodinâmica Computacional; Gestão de Requisitos; Manutenção, entre outros.

Fortaleza vem se destacando atualmente no setor da aviação brasileira com a concessão do aeroporto da cidade para a empresa alemã Fraport, que está investindo aproximadamente R$ 1 bilhão em estrutura para o terminal cearense, e a chegada do centro de conexões do grupo Air France/KLM/Gol, que resultou na expansão da oferta de voos nacionais e internacionais com chegada e saída de Fortaleza. De acordo com o coordenador do MP-Safety do ITA, professor Donizeti de Andrade, um mestrado desse porte pode influenciar em questões sociais, econômicas e, consequentemente, no crescimento do setor.

“Fortaleza tem evoluído sobremaneira, por exemplo, na interface dos aeroportos dentro do contexto do Transporte Aéreo. O Fortaleza Airport, Aeroporto Pinto Martins (Gestão Fraport), está assumindo destaque, colocando a cidade como o terceiro polo aeroportuário mais movimentado no país (fora de São Paulo-Rio e Brasília). Os trabalhos desenvolvidos na turma um e aqueles que estão sendo desenvolvidos pelas turmas dois e três têm importantes spin-offs (quando uma tecnologia resulta no desdobramento de outras já existentes) para o setor, contribuindo de modo efetivo para o desenvolvimento do setor aéreo no Ceará e no Brasil”, enfatizou o coordenador.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp