Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Procuradoria-Geral da República afirmou nessa segunda-feira, 26, por meio de nota, que “decidiu rescindir os acordos de colaboração premiada de Wesley Batista e Francisco de Assis e Silva, sócio-proprietário e executivo da J&F, respectivamente”. A decisão foi enviada ao relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), para homologação.

Segundo a procuradora, a providência é decorrente da constatação de que, assim como Joesley Batista e Ricardo Saud – que já tiveram os acordos rescindidos – os dois descumpriram os termos da colaboração ao omitirem, de forma intencional, fatos criminosos dos quais tinham conhecimento no momento do fechamento dos acordos firmados com o Ministério Público Federal (MPF).

No caso de Wesley, a decisão da procuradora-geral considerou indícios da prática de crime quando o empresário já se encontrava na condição de colaborador.