Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Fortaleza vai começar a colher os primeiros frutos resultados do leilão do Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, pelo grupo alemão Fraport. O prefeito Roberto Cláudio anunciou a criação do projeto de lei classificando a área do entorno aeroportuário como “Zona Econômica Diferenciada Urbanística e Social (Zedus)”. A mensagem foi encaminhada à Câmara Municipal e deverá ser aprovada até maio.

O objetivo é transformar a área aeroportuária e seu entorno com políticas públicas voltadas para garantir o acesso rápido de trânsito e na mudança dos padrões de construção de imóveis. Também haverá incentivos tributários para os que queiram investir na região. O prefeito não falou o quanto de negócios isso pode gerar, nem o valor de uma eventual renúncia fiscal, mas revelou que existe um estudo neste sentido.

A mudança na lei, segundo o prefeito, tem potencial para atrair hotéis, lavanderias, locadoras de veículos e empresas de catering (que fornecem comidas e bebidas para o serviço de bordo das aeronaves). Em sua primeira visita oficial a Frankfurt, Roberto Cláudio apresentou um vídeo sobre a cidade e disponibilizou a administração municipal para trabalhar uma pauta comum.  O presidente da Fraport, Stefan Schulte, pediu ao prefeito uma estação de bicicletas compartilhadas dentro do terminal, no que foi atendido. Stefan Schulte acenou que também está conversa com a Lantam sobre a instalação do Hub em Fortaleza.

A empresa é dona do maior terminal aeroportuário da Alemanha e também opera 10 aeroportos na Europa, Ásia e América do Sul (em Lima, no Peru). Além de Fortaleza, os alemães levaram o de Porto Alegre. A Fraport começará a operar plenamente o Pinto Martins a partir de 28 de janeiro de 2018. Antes disso, em 28 de julho ela ficará num tipo de administração compartilhada com a Infraero, que vai se retirando aos poucos do negócio até entregá-lo de vez. Os alemães reafirmaram no encontro que, por sua localização, Fortaleza é estratégica para ampliar a operação da empresa na América Latina.

Fonte: O Povo Online

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp