Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
O PSB deve confirmar no próximo domingo a neutralidade na corrida presidencial. A decisão do partido é fruto de um acordo que está sendo fechado na tarde desta quarta-feira com o PT, que decidiu retirar a candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo de Pernambuco em prol da reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). Esse era o principal entrave de uma aliança do PSB com o candidato do PDT, Ciro Gomes.
Mas pesou para os pessebistas a força que a sigla tem em Pernambuco, estado que vem sendo governado pelo partido há 12 anos. Pernambuco é o maior diretório do PSB. Em troca da retirada da candidatura da petista, o PSB deve retirar a candidatura de Márcio Lacerda ao governo de Minas Gerais. Ele também representava um obstáculo à reeleição do petista Fernando Pimentel.
Segundo fontes dos dois partidos, Marília Arraes já foi avisada da decisão pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Mas a decisão só será oficializada após a reunião do diretório do PT em Brasília, que está em andamento na tarde de hoje. Márcio Lacerda também já teria sido informado da decisão do PSB. Ao abandonar a disputa pelo governo, ele teria à disposição uma vaga ao Senado pela chapa de Pimentel.
Com essas negociações de última hora, o PSB deve chegar à Convenção Nacional, no próximo domingo, com a decisão tomada e apenas a ser registrada oficialmente. Uma das lideranças do partido conta que apesar das divisões internas, a opção pela neutralidade deve atingir um consenso entre os delegados e nem precisará ser levada a voto.
Com informações O Globo